segunda-feira, 6 de abril de 2015

Filme 'Não Eu' é recorte cinematográfico sobre campo-grandense

Por Daiane Libero

Cena de 'Não Eu', de Breno Benetti. Foto: Divulgação

Quando o cineasta campo-grandense Breno Benetti divulgou, no começo de 2013, que iria gravar um longa-metragem em Campo Grande, chamou a atenção da cena audiovisual por ter em mãos cerca de R$ 100 mil para rodar o filme pelas ruas da Capital. E eis que “Não Eu”, que estreou oficialmente em novembro do mesmo ano no “FestCine Vídeo América do Sul”, surpreende justamente pela falta de pretensão com que apresenta o universo dos personagens Jorge (Luiz Bertazzo), Guavira (Fran Corona) e Leon (André Tristão), porém com uma força impressionante.

A atuação de Bertazzo surpreende pela sinceridade. No longa, Jorge é um personagem perturbado que, entre as noitadas ao lado de Leon, busca, de uma forma subjetiva, entender seus próprios pensamentos e a relação com o pai, interpretado pelo sempre ótimo David Cardoso. As partes menos pesadas do filme, que conta com uma fotografia envelhecida, em cores sóbrias, são as que David aparece, contando piadas e interpretando um típico fazendeiro “matuto”.


A atriz Fran Corona também dá brilho ao enredo, quando interpreta a boêmia Guavira e carrega Jorge para seu próprio mundo. Desfilando aos olhos do espectador cenários de Campo Grande como a Orla Ferroviária, o Hotel Gaspar, a Rua Calógeras, a lente Benetti consegue deixar a Capital com a cara de um grande cenário cinematográfico. Para além da poesia que Benetti consegue reunir, além da trilha sonora impecável, está o retrato de um campo-grandense solitário e que tenta, a um alto custo, entender o mundo que o cerca e seus próprios desejos. 

A única ressalva do filme, talvez, tenha sido a extensão de cenas que não dizem tanto quanto as partes em que Jorge interage com seus interlocutores. Porém, nem mesmo isso atrapalha o andamento do filme. No final, o que fica é uma sensação de retrato e poesia.   

0 comentários:

Postar um comentário